Deputados da região de Sorocaba votam pelo fim da aposentadoria digna

Jefferson Campos (PSB), Vitor Lippi (PSDB) e Capitão Derrite (PP), de Sorocaba; Herculano Passos (MDB), de Itu; Guilherme Mussi (PP), de Itapetininga; e Guiga Peixoto (PSL), de Tatuí, votaram a favor do texto-base da Reforma da Previdência na última quarta-feira, dia 10

Os seis deputados que representam a Região Metropolitana de Sorocaba (RMS) na Câmara Federal votaram a favor do texto-base da Reforma da Previdência (PEC 6/19), que foi aprovada na noite desta quarta-feira, 10, com 379 votos favoráveis e 131 contrários.

São eles: Jefferson Campos (PSB), Vitor Lippi (PSDB) e Capitão Derrite (PP), de Sorocaba; Herculano Passos (MDB), de Itu; Guilherme Mussi (PP), de Itapetininga; e Guiga Peixoto (PSL), de Tatuí.

Eram necessários pelo menos 308 votos (3/5 dos deputados). O texto será agora submetido ao segundo turno de votação, que serão analisadas alterações e emendas aglutinativas, e depois será enviado ao Senado.

O texto-base aprovado é o substitutivo do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) que, apesar de deixar de fora a capitalização, continua cruel para os trabalhadores. A Reforma da Previdência aumenta o tempo para se aposentar, limita o benefício à média de todos os salários (não mais aos 80% maiores contribuições), eleva as alíquotas de contribuição para quem ganha acima do teto do INSS e estabelece regras de transição para os atuais trabalhadores.

“É uma vergonha para a Região Metropolitana de Sorocaba, tão importante para o estado de São Paulo, ter representantes contrários às milhares de famílias de trabalhadores, especialmente as mais pobres, que são as mais afetadas com esse projeto que acaba com a aposentadoria digna dos brasileiros”, critica o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (SMetal), Leandro Soares.

E completou: “Mas não nos damos por vencidos, a luta agora é no Senado e nas ruas. Os trabalhadores e trabalhadoras precisam se unir ainda mais para enfrentar mais esse ataque aos seus direitos.