Reforma Trabalhista: A partir do dia 11 de novembro, trabalhadores poderão ser chamados para negocia

Lei sancionada por Michel Temer (PMDB) prevê perdas de metade da multa sobre o FGTS e trabalhador/a não terá direito ao Seguro-desemprego


Segundo levantamento do Congresso Em Foco, 37 dos 50 senadores que aprovaram o extermínio da CLT são empresários – ou seja, patrões diretamente interessados em aumentar os lucros explorando seus empregados, especialmente quando entrar em vigor a negociação individual entre trabalhador e empregador, sem a intermediação do sindicato, de itens como demissão voluntária, parcelamento de férias ou mudança da jornada de trabalho.


“É evidente que não vai ser uma negociação. O patrão ou seu preposto do RH simplesmente vai pressionar o trabalhador a aceitar as mudanças de regras. Se não aceitar, estará na rua e ponto final”, afirmou o presidente da CUT, Vagner Freitas,


“É importante alertar que os trabalhadores e as trabalhadoras que estão no mercado formal de trabalho, deverão ser chamados para ‘negociar’ a demissão voluntária que representa a perda de 20% da multa rescisória e ainda impede que o trabalhador ou a trabalhadora acesse o Seguro-Desemprego”, destacou Vagner. No caso da demissão negociada, o trabalhador só poderá sacar 80% do seu Fundo de Garantia.


Este é um dos presentes que os patrões ganharam de Michel Temer (PMDB) e seus aliados com a aprovação da Reforma Trabalhista, que passa a valer a partir de 11 de novembro.

Sindicato do Vestuário de Sorocaba

Imagens da luta
1/145
Endereço

Rua Júlio Hanser, nº 140 – Sala 01 – Jardim Faculdade – Sorocaba/SP.  CEP:18030-320

Fone: (15) 3222•2122

         

 

Celular/Whatsapp: (15) 99119•7574

E-mail: stivestuariosor@uol.com.br

Encontre-nos

Novo desenvolvimento/atualizações: Associação Participi de Comunicação Cidadão
Profissionais responsáveis: João Andrade || Giovani Vieira Miranda