Carta em que Dilma apoia plebiscito repercute no Senado


A carta da presidenta eleita Dilma Rousseff dirigida ao povo brasileiro e aos senadores, que vão julgá-la no processo de impeachment, foi lida em Plenário pela senadora Fátima Bezerra (PT-RN) após a divulgação do documento nesta terça-feira (16). Na mensagem, a presidenta aponta o voto popular como o único caminho para o país sair da crise e diz que, por isso, apoiará o plebiscito e a reforma político-eleitoral.


A senadora Fátima Bezerra também leu o trecho da mensagem de Dilma em que a presidenta reforça sua inocência: “Esse processo de impeachment é frágil, juridicamente inconsistente, um processo injusto, desencadeado contra uma pessoa honesta e inocente. O que peço às senadoras e aos senadores é que não se faça a injustiça de me condenar por um crime que não cometi”. E defende a proposta de que “quem deve decidir o futuro do país é o nosso povo”. “A democracia há de vencer”, diz Dilma no texto lido pela senadora. Na carta enviada aos senadores, a presidente Dilma Rousseff diz ainda que, ao contrário dos que deram início ao processo de impeachment, ela não tem contas secretas no exterior e nunca desviou recursos públicos.